Connect with us

Famosos

Escritor Jose Nelson Freitas: “Diário de Bordo”

Published

on

E o quarto de minha mãe se transformou em um reduto de muitas ervas e muitas rezas. Por algumas vezes, mamãe chamou o padre para me abençoar apesar de acreditar que não morreria. Sobrevivi a base do leite materno que ela tirava e me molhava a boca, porque não conseguia sugar. E assim foi dia após dia...

Em entrevista exclusiva, com o Escritor Freitas tivemos a oportunidade de conhecer mais sobre essa personalidade da literatura brasileira. Na sua infância e adolescência, lá em Parnaíba e posteriormente em Fortaleza, era comum manter um diário. Ele não fugiu à regra. Durante muito tempo, diariamente, escrevia tudo o que se passava durante o dia. Esse exercício de escrita era incentivado pelos professores para que os alunos buscassem enriquecer seu vocabulário e principalmente aprendessem a exercitar a boa redação. Além do aspecto positivo do exercício da redação, o diário possibilitava manter o acontecido fresco nas mentes. A madrinha de Freitas “Criselite”, também sua professora, tinha como praxe diária, antes de entrar nas matérias propriamente ditas, chamar algum aluno na frente da turma e pedir que ele lesse o que escrevera no diário, no dia anterior.

Segundo o Escritor foi esse exercício que permitiu ele manter os detalhes da sua vida, desde a primeira infância até os dias de hoje. “É exatamente esse caleidoscópio de informações de vida que gostaria de estar compartilhando com meus leitores”, afirma ele.

E Tudo começou assim…

“Diz a lenda que nasci por volta das 13:00 do dia 05/01/1951. Um dia úmido e quente do vento que vinha do rio Igaraçu. Uns dizem que foi em casa com a parteira e outros que foi na Santa Casa de Misericórdia da cidade de Parnaíba-Pi. Minha mãe sempre dizia que desde o momento do meu nascimento e por muitos dias passeis por situações muitas vezes difíceis e desenganado por quase todas as pessoas. Não me alimentava, queimava de febre e chorava sem parar… Fui um bebe pequeno e muito frágil. Durante dias minha mãe me manteve no colo, como que a me fechar em uma redoma de amor… Fui apressadamente batizado para que não morresse pagão. Papai tinha uma admiração pelo meu padrinho, Pedro Alelaf e pela minha madrinha Criselite, os escolhidos.

Dias terríveis… Segundo fiquei sabendo, minha moleira não se fechava e meu pai conseguia colocar seu punho fechado dentro dela. E o quarto de minha mãe se transformou em um reduto de muitas ervas e muitas rezas. Por algumas vezes, mamãe chamou o padre para me abençoar apesar de acreditar que não morreria. Sobrevivi a base do leite materno que ela tirava e me molhava a boca, porque não conseguia sugar. E assim foi dia após dia…

Santa Casa de Misericordia - Parnaiba - Foto: Acervo Pessoal

Santa Casa de Misericordia – Parnaiba – Foto: Acervo Pessoal

Durante toda minha vida e até o dia da morte de minha mãe, nós mantivemos uma forte ligação. Não precisa ligar para Fortaleza, onde ela morava com minha irmã, Nadir Freitas, uma neta Claudia Souza, bisneta Tallyta Farias, uma tetraneta, Elloyse Vitória, e um sobrinho, Fabio Silva, para saber como ela estava. Sempre que ela passava por algo, eu sentia fortemente. Nos meses anteriores a ela deixar esse plano, esse sentimento foi como um verdadeiro turbilhão. Muitas vezes acordava no meio da noite com aquele sentimento de que precisava fazer algo, mas não sabia o quê ou aquele sentimento de um grande vazio no peito…

Estava almoçando, em um restaurante, com minha família em São Paulo (Conceição, Ana Séfora, Aninha Pires, Maria Julia, Paulo Augusto),  Adauro Pires e com uma sobrinha, Tânia Bezerra, que era casada com um cidadão americano que fora transferido de Nova York  e estava trabalhando em São Paulo.

Mesa posta, vinho servido, de repente senti um forte aperto no coração como se uma enorme mão estivesse a comprimi-lo. Os batimentos aumentaram de forma acelerada. Mesmo assim procurei me manter calmo como se nada estivesse acontecendo. De repente o telefone toca e Nadir, do outro lado da linha, informa que nossa mãe havia falecido. Ouvi como se estivesse assistindo a um filme, olhos perdidos na cena que minha mente buscava… o brinde fora levantado e impassível fiz o brinde e começamos a comer. O estomago doía, a alma doía, o corpo todo doía, minhas mãos tremiam, o que não era novidade, porque a vida toda minhas mãos tremeram, talvez por isso ninguém tenha notado nada diferente. Em um dado momento apertei a coxa da Conceição como se estivesse buscando forças, e estava buscando mesmo.

Jose Nelson Freitas e Família - Foto: Acervo Pessoal

Jose Nelson Freitas e Família – Foto: Acervo Pessoal

Almoço concluído, café tomado com um cálice de licor, conta paga, nos levantamos para sair do restaurante. Já na rua, tomei as mãos da Conceição e falei no ouvido dela: Dona Mariquinha acabou de falecer! Ela me olhou surpresa e indagou: foi na hora do telefonema? Respondi que sim. Ela me deu um forte abraço, paramos e ela fez o comunicado aos familiares.

Sabe qual foi a cena que ficou na minha mente? Mamãe sentada na borda da cama comigo no colo, sem chorar porque já não tinha mais lagrimas e eu sem nenhum esforço de vida e ela me apertando contra seus seios, me protegendo. Essa cena me fez entender o tamanho e a beleza da ligação que tínhamos e que essa ligação ficaria eternamente. Não sei quantos, mas acho que devem ser muito poucos, os filhos cuja mãe ou pai falece o mesmo dia e quase na mesma hora que você veio à vida.

Heleuterio e Mariquinha no dia do casamento - Foto: Acervo Pessoal

Heleuterio e Mariquinha no dia do casamento – Foto: Acervo Pessoal

Diz a lenda que nasci por volta das 13:00 e, não foi lenda, Dona Mariquinha, faleceu mais ou menos nesta hora.

A partir daí o dia 05/01, é o dia do meu nascimento ou é o dia da morte de minha mãe?.”

Para conhecer mais sobre o Escritor Jose Nelson Freitas segue o Instagram: @freitasfariasescritor

Continue Reading

Famosos

Hellen Nobre é Coroada Miss Brasil Trans 2024 em Evento no Theatro Municipal de São Paulo

Published

on

Na noite desta segunda-feira, 10 de junho, os holofotes da diversidade brilharam intensamente no Theatro Municipal de São Paulo, onde foi realizado o aguardado Miss Brasil Trans 2024. Em um momento de grande emoção e celebração, a coroa foi entregue à deslumbrante Hellen Nobre, Miss São Paulo, consagrando-a como a vencedora do concurso.

A conquista de Hellen foi um marco não apenas para ela, mas para toda a comunidade trans, sendo prestigiada por figuras proeminentes que apoiam a causa da diversidade. A coordenadora municipal da diversidade, Leo Áquilla, e a influenciadora Maya Massafera estiveram presentes para parabenizar e aplaudir a nova rainha da beleza trans.

Foto Reprodução: Assessoria do Evento

O evento, que contou com uma atmosfera de glamour e empoderamento, reuniu uma plateia cativada pela beleza, elegância e determinação das participantes. A coroação de Hellen Nobre não apenas celebrou sua conquista pessoal, mas também destacou a importância de eventos como o Miss Brasil Trans para promover a inclusão e a representatividade na sociedade.

Parabéns, Hellen Nobre, por sua vitória extraordinária e por ser um símbolo inspirador de força, beleza e orgulho para a comunidade trans e para todo o Brasil. Que sua jornada continue a inspirar e abrir caminhos para um futuro mais inclusivo e igualitário.

Colunista: Daniel Steve

Instagram@jornalistadanielsteve

Continue Reading

Famosos

Chaline Grazik, a “Vidente das Estrelas”, Antecipa Desastres no Rio Grande do Sul

Published

on

Chaline Grazik/ Créditos: Maiara Paganotto

A renomada vidente e paranormal, conhecida como “Vidente das Estrelas”, Chaline Grazik, chamou a atenção ao direcionar suas previsões não para a vida de artistas, mas para um evento catastrófico em sua própria região, o Rio Grande do Sul. Em um de seus vídeos, Chaline alertou sobre desastres iminentes, pedindo às pessoas que se preparassem adequadamente.

“Vejo árvores sendo arrancadas e ventanias que trazem grandes obstáculos para a população”, mencionou ela em suas redes sociais, numa premonição alarmante que foi publicada. E não é que foi verdade? As chuvas intensas começaram a afetar o estado na segunda-feira, levando a resultados devastadores: 134 municípios foram atingidos, resultando em 13 mortes confirmadas e deslocando milhares de pessoas.

O balanço divulgado pela Defesa Civil do Rio Grande do Sul na manhã desta quinta-feira revela que, além das fatalidades, outras 12 pessoas estão feridas, e ao todo, 44.640 pessoas foram afetadas por ocorrências como enchentes, deslizamentos de terra, transbordamento de rios e desabamentos. Até o momento, 5.257 indivíduos estão desalojados e 3.079 estão em abrigos.

As previsões de Chaline Grazik e a subsequente verificação dos eventos confirmam sua precisão como profissional. Enquanto as comunidades afetadas iniciam seus esforços de recuperação e reconstrução, muitos agora veem Chaline não apenas como uma guia espiritual, mas como uma voz influente na preventiva em tempos de crise. Ela continua a oferecer orientação e a advogar pela preparação, destacando a importância de estar atento aos sinais e aos avisos que podem ajudar a salvar vidas em futuros desastres.

Para saber mais siga ela nas redes sociais @cha.grazik

Continue Reading

Famosos

Flavia Stelly: “Faz lançamento do seu DVD que foi gravado em Londres”

Published

on

By

A cantora Flavia Stelly realizou a gravação de seu DVD intitulado “Saudade Digital” em Londres. A música conta com a composição de Alexandre Matos e Fabio Fortaleza. O projeto foi supervisionado pelo produtor Alvaro Pizanni e apresenta lindas canções de renomados compositores. Entre um projeto e outro, ela continua lançando muitas músicas inéditas.

Flavia Stelly - Foto; Reprodução

Flavia Stelly – Foto; Reprodução

Flavia Stelly é uma artista frequentemente destacada nas páginas da revista internacional EURRITMIA MAGAZINE e realiza shows constantemente no Reino Unido e Europa.

Flávia Stelly estabeleceu residência em Belfast, na Irlanda do Norte. Sua trajetória pelo mundo iniciou após uma amiga convidá-la para estudar inglês em Londres, o que já era um sonho antigo da cantora. Se mudar para a Irlanda do Norte foi uma oportunidade e também um objetivo pessoal alcançado pela artista.

Flavia Stelly - Foto; Reprodução

Flavia Stelly – Foto; Reprodução

Flávia Stelly lançou em 2021,  o single ‘’Superei’’. Com composições próprias e em parceria com seu irmão, a música foi um projeto que contou não somente com a inspiração da artista, e o apoio de amigos e familiares.

Com seu estilo sertanejo, a música expõe sentimentos de separação e coração partido. Apostando na expectativa de seu retorno, Flávia certifica que sua carreira é sua prioridade no momento e faz planos para ingressar no âmbito musical por completo. Tendo como inspiração os artistas Ivete Sangalo,Simone e Simaria, Banda Mastruz com Leite e Magníficos, Flávia Stelly divulga a música brasileira para o mundo, assumindo o papel de representante cultural do país no exterior.

Flavia Stelly - Foto; Reprodução

Flavia Stelly – Foto; Reprodução

Participou de um grande evento chamado “Buteco dos 10”, em Londres, na Inglaterra. A cantora também se destacou em muitas plataformas digitais após os lançamentos das  musicas: aquele movimento, hashtag sábadou, Barabum.

O lançamento que encantou muita gente, foi a musica Beijando o litro. Com um trabalho árduo e com muita seriedade ela já chegou a quase 400 mil Streams em uma das principais plataformas (Spotify). A música episódio de traição foi lançada recentemente com um lindo vídeo clipe, gravado nas ruas de Londres.

Parceria que se iniciou após a gravação do Buteco do 10 em Londres no ano passado. A artista já se vê muita realizada, pelos projetos que está realizando, ressalta que a carreira alavancou e tem muitos fãs pelo mundo. “Me sinto muito feliz com tanto carinho que recebo todos os dias de fãs no mundo todo, isso me faz sentir segurança em continuar minha caminhada, é tudo muito magico”, ressalta a Artista.

Canal do Youtube: @flaviastelly

Spotify: Flávia Stelly

Instagram: @flaviastelly

Continue Reading

Bombou na semana